17 de abril

GDF - Administrações Regionais
6/04/19 às 19h05 - Atualizado em 25/04/19 às 14h49

SOS DF CHEGA AO SIA NOS DIAS 12 E 13 DE ABRIL DE 2019.

COMPARTILHAR

Criado com o objetivo de revitalizar o Distrito Federal, o SOS DF foi lançado nos primeiros dias de gestão do governador Ibaneis Rocha. Encabeçado pela Secretaria de Obras, o programa tem como meta levar serviços emergenciais para o cidadão com ações que atendam as principais demandas da comunidade. São operações de tapa-buracos, poda de árvores, limpeza de bocas de lobo, retirada de lixo, capina, pinturas de faixas de pedestres e de meios-fios, roçagem e dentre outros serviços.

As atividades são preventivas e corretivas, incluindo inspeções no sistema distribuidor de água e coletor de esgoto. Quando são identificados os problemas que geram prejuízos para a população, como vazamento de água e rompimento de rede, entra então, o processo de manutenção. Para atender ao SOS DF, foi criado um cronograma definido pela Secretaria de Obras, que são atendidas três localidades por dia.  A equipe passa uma semana em cada local. Nos locais onde é feita a manutenção da rede de esgoto ( os poços de visita ) são retirados diversos tipos de material, como peças de lingerie, cabos de rodo, sacos plásticos e copos descartáveis, além de gordura.

O programa criado pelo GDF visa recuperar as cidades nas 31 regiões administrativas no Distrito Federal.

As ações mobilizam, em média, 600 pessoas por dia. Um dado que chama a atenção nos números do SOS DF é o recolhimento de lixo, incluindo os containers do Papa Entulho: até então no SOS DF, foram removidas 19.558 toneladas de material para descarte.

O cuidado com a limpeza pode ser destacado ainda em outros dois pontos: na varrição de vias e espaços públicos, que chegou a 12.374,17 quilômetros – é como atravessar o Eixão, de uma ponta à outra, 884 vezes –; e na área roçada, com valores próximos aos 52 milhões de metros quadrados. Esse montante equivale a 7.289 campos de futebol iguais ao que existe no Estádio Mané Garrincha.

O programa de revitalização do GDF também dedicou tempo para cuidar do meio ambiente e dos problemas causados pelo acúmulo de chuva das últimas semanas. Operações conjuntas foram destacadas para reparar trechos da EPVP e da ponte de ligação entre o Núcleo Bandeirante e a Metropolitana. No total, a Novacap realizou 10.312 podas e 4.882 retiradas de árvores que representavam perigo para moradores e construções.

O SOS DF, por meio da CEB, também promoveu 1.662 reparos de pontos apagados e substituição de lâmpadas, além de 2.627 ações de conserto e desobstrução no sistema de tubulação e coleta de esgoto, com a ajuda da Caesb. Já o Detran, em parceria com o DER, recuperou e instalou 1.120 placas.

Na avaliação do governador Ibaneis Rocha, esse alto número de intervenções mostra o quanto o Distrito Federal estava abandonado. “ O governo serve para isso: atender a população, colocar o aparelho público à disposição da sociedade, que paga seus impostos e espera que nós façamos a nossa parte. Nós estamos trabalhando para mudar essa situação. A nossa cidade não merece isso ”.

Atuando de forma integrada, o SOS DF funciona como uma força-tarefa coordenada pela Secretaria de Obras e Infraestrutura, e que conta com apoio da Novacap, CEB, Detran, Caesb, DF Legal, SLU e DER, para atender demandas pontuais das administrações regionais em obras emergenciais.

“ É uma intervenção histórica dos órgãos do governo! Que de forma integrada estão recuperando as cidades. Ações com foco nas necessidades prioritárias e emergenciais identificadas pelas administrações regionais junto à comunidade. Isso só foi possível em razão da determinação do governador de recuperar rapidamente a situação calamitosa que as cidades estavam vivendo, principalmente nas regiões periféricas ”, diz José Humberto Pires, secretário executivo do Conselho Permanente de Políticas Públicas e Gestão Governamental.

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros